Os números de 2015

Publicado: 30 de dezembro de 2015 em Uncategorized

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2015 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um comboio do metrô de Nova Iorque transporta 1.200 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 5.400 vezes em 2015. Se fosse um comboio, eram precisas 5 viagens para que toda gente o visitasse.

Clique aqui para ver o relatório completo

Fala pessoal,

Hoje vou mostrar como fazer a ligação da sua mesa aquecida diretamente na rede elétrica ou seja aquecer a mesa utilizando 110v ou 220v. Mas antes de mais nada quero deixar duas coisas bem claras:

perigo

Há o perigo de levar um choque na montagem ou durante o uso  da impressora, se a mesma não estiver bem isolada.

Há segunda coisa é

IMG_2602IMG_2603
Há o perigo de curto circuito e você queimar a sua mesa (como eu fiz) aconselho a ler todo o tutorial e fazer com calma.

Você pode pensar: “Cara com todos esses perigos e problemas para que fazer isso?

O motivo de fazer alteração foi o tempo que perdia esperando a mesa aquecer, estava levando uns 40 minutos para minha mesa esquentar 120º, com essa alteração o  tempo caiu para 3 minutos e a temperatura se manteve muito mais estável. Mesmo trocando o irf original para o irf1404, melhorou um pouco mas ainda não estava satisfeito.

Para fazer a alteração você vai precisar:

A primeira coisa que precisa verificar é a ligação da sua mesa, se ela estiver ligada em 12v, você precisa modificar para 24v, se já estiver em 24v não precisa alterar nada.

Isso porque ela fica com uma resistência maior, ligada em 12v ela tem ~1Ω , já com a ligação em 24v a mesma sobe para ~3,5Ω. Verificado isso a unica modificação que irá fazer na ramps é tirar os cabos que vão para mesa aquecida e ligar no relé, para ajudar veja a imagem abaixo:

IMG_2601

Layout feito por Claudio Sampaio

 

Para ajudar o esquemático ficara da seguinte maneira:

Ramps Pino positivo ->  Pino 3 relé (fio vermelho)

Ramps Pino negativo ->  Pino 4 relé (fio preto)

Da mesa Aquecida

Pino 3 – > Direto na tomada

Pino 2 -> Pino 1 rele (fio Preto)

Tomada -> Pino 2 (fio branco)

No meu caso ficou da seguinte maneira:

2015-10-23 23.09.58

 

Após feito isso vamos para configurar o firmware para fazer o controle, a modificação é simples vamos utilizar PWM para fazer o controle da temperatura. Iremos alterar 6 linhas do Marlin.

  • 110v  -> 64
  • 220v -> 32

Esses valores são o maximo que deve ser utilizado com segurança eu estou utilizando 45 de PWM e está ótimo. Veja o que deve alterar no Marlin

Capturar

A modificação é dividida em 2 partes as 3 primeiras linhas:

#define PIDTEMPBED
#define BED_LIMIT_SWITCHING
#define MAX_BED_POWER XX

Você deve descomentar e gravar o firmware, lembrando que há um limite, para o valor do MAX_BED_POWER, já as  3 ultimas linhas você deve alterar após a instalação do firwmare, você deve seguir este passo a passo.

Como falei no inicio é necessário isolar a mesa para evitar choques, você deve utilizar a fita kapton nas bordas e embaixo da mesa eu utilizo esse cara, ele tanto faz o isolamento da temperatura quanto da parte elétrica. Todo cuidado é pouco nesta parte então não economize na fita e no isolamento. E quero lembrar que não me responsabilizo por essa modificação em sua impressora, se feito corretamente não terá problemas.

Quero agradecer o Claudio Sampaio do makerlinux pela ajuda, sem ele não ia ter conseguido configurar, instalar e o mais importante aprender.

Abraços

 

 

 

 

Fala pessoal,

Essa semana tive precisei juntar alguns pdf’s e não estava muito afim de instalar um software só para fazer isso, pesquisando um pouco achei o GhostScript, um interpretador PostScript e PDF que também é um aplicativo de código aberto, se quiserem saber mais é só acessar aqui: http://www.ghostscript.com/
Apesar de ser um pouco mais complicado de lembrar, o comando para gerar um pdf único com ele é bem fácil de entender.
Antes de tudo vamos instalar o GhostScript, como eu estou utilizando o Fedora 21, vou usar o gerenciador de pacotes YUM, aí varia do gosto da pessoa e a distro que ela está utilizando.
Para instalarmos o GhostScript usei o comando:

sudo yum -y install ghostscript

Após instalado, iremos para a pasta onde estão os pdfs a serem mesclados, a sintaxe básica do comando que iremos usar é bem simples:

gs -dNOPAUSE -dBATCH -sDEVICE=pdfwrite -sOutputFile=saida.pdf 1.pdf 2.pdf 3.pdf

Entendendo o comando:

gs = é a chamada do aplicativo GhostScript
-dNOPAUSE = com esse parâmetro o GhostScript não irá pausar esperando a confirmação do usuário a cada página adicionada, que é o comportamento padrão
-dBATCH = Após o último arquivo, o GhostScript vai sair automaticamente e não irá esperar a confirmação do usuário
-sDEVICE=pdfwrite = Aqui você indicará qual o dispositivo de saída que será gerado seu arquivo, como queremos um arquivo PDF nós usamos o dispositivo pdfwrite. A lista de dispositivos disponíveis pode ser vista com o comando gs —help.
-sOUTPUTFILE = Nesse parâmetro iremos indicar qual vai ser o nome do arquivo de saída gerado, sempre lembrando de colocar a extensão .pdf
Caso você não queira ver as mensagems que o GhostScript exibe em tela, pode colocar também o parametro -q.

Após os comandos, nós colocamos o nome do arquivo que queremos em ordem de montagem, no nosso caso o arquivo 1.pdf será o primeiro, seguido do 2 e assim por diante. Caso precise fazer essa comando com por exemplo uns 500 arquivos basta colocar todos os arquivos em uma pasta e substituir todos esses nomes de arquivo por *.pdf. Só se atente ao fato de que isso irá pegar os arquivos por ordem de nome.
Após todo esse processo, teremos nosso arquivo inteiro pronto para ser usado.

Abraços!!

Abraços…[

Fala pessoal,

Apanhei um pouco para conseguir instalar o eaglecad no fedora, tudo por conta de uma lib. Vou colocar aqui o passo a passo, é bem similar a este post aqui!

Vamos baixar o a nova versão do eagle:

 wget -c http://web.cadsoft.de/ftp/eagle/program/7.2/eagle-lin-7.2.0.run 

Altera a permissão para execução:

 chmod a+x eagle-lin-7.2.0.run

Após esses passos precisa preparar o ambiente:

 cd /usr/lib

sudo ln -s -T libssl.so.1.0.1e libssl.so.1.0.0

sudo ln -s -T libcrypto.so.1.0.1k libcrypto.so.1.0.0 

A diferença é o 1k da lib após isso só partir para a instalação e o desenvolvimento.

 cd ~/Downloads/

./eagle-lin-7.2.0.run 

Abraços

 

 

Fala pessoal,

Como falei no primeiro post, “um problema” encontrado no layout da Graber é o encaixe das portas no frame.

Por ter sido desenvolvido nos USA (se não me falha a memoria) os encaixe usam a medida padrão de lá que são totalmente diferentes da nossa.

É  importante que fique a estrutura fique firme, pois as folgas vão comprometer toda uma impressão. E é um saco após 2 ou 3 horas ver a peça com um monte de pequenos defeitos.

O Valter do grupo da reprap-br fez um excelente adaptador para porcas M3, no post passado coloquei esse link.

Você pode pensar há mas compro a porca e o parafuso correto pelo Aliexpress,Ebay,Dx,etc…

Sim você pode fazer isso tranquilamente o problema é comprar 100, 200 unidades e usar no máximo 20 (nem sei se esse é o total), não encontrei nenhum vendedor abaixo de 100.

Segue abaixo fotos do adaptador e do mesmo em uso:

IMG_1616

IMG_1615

Se precisar das peças impressas entre em contato com esses caras aqui:

Logo

Abraços!

Fala pessoal,

Para iniciar o ano comecei com um projeto que estava encostado desde o ano passado. Vou montar uma segunda impressora 3D.

A que tenho atualmente é da Gagde3D, foi muito bom aprender com ela, uma ótima compra, está imprimindo muito bem, como podem ver em outros posts.

Mas eu e o meu sócio queremos fazer algumas modificações, experimentar outras ferramentas, hot end, firmware,etc, mas como diz o velho ditado: “Em time que está ganhando não se mexe!”

Vamos montar uma outra impressora, vou aproveitar para listar tudo que usei, configurações, impressões usada, enfim fazer um bom manual para mim e para quem mais quiser começar a se aventurar na impressão 3d.

O modelo escolhido foi a Graber i3, foi feito o corte a laser, como pode ser visto nas fotos a baixo, até o comento precisei de 2 peças impressas. O manual seguindo para montar o frame

A primeira: Adaptador de porca M3, pois o tipo usado no projeto original não é usado no Brasil.

A segunda: Slot para o rolamento lm8uu, para a mesa correr (ver foto abaixo)

IMG_1568IMG_1569

 

 

IMG_1570 IMG_1571

Assim que for montando e aprendendo irei colocando as novidades aqui! Se precisar do corte a laser ou das peças impressa, fala com esse pessoal AQUI!

 

Abraços!

Fala pessoal,

Hoje vou falar um pouco dessa IDE com um nome peculiar que foi desenvolvida  para o Arduino, que achei muito melhor que a IDE padrão.

O projeto é de um brasileiro o Alex Porto, o MariaMole tem como alvo os desenvolvedores experientes que consideram o IDE default do Arduino muito básico, e é capaz de importar vários dos componentes dele, além de trazer recursos como gerenciador de projetos, realce de sintaxe e opções de compilação ajustáveis.

Como no próprio site do projeto diz:

MariaMole é um IDE OpenSource para Arduino. Assim como o ambiente original do Arduino, o MariaMole facilita a criação de software para o Arduino. Porém, enquanto o IDE original do Arduino possui limitações para facilitar a vida dos iniciantes, MariaMole traz recursos que os usuários mais avançados estão acostumados a encontrar em IDEs profissionais

Algumas imagens dessa IDE:

Tela de trabalho da IDE

Tela 1 da Maria Mole

As primeiras versões eram exclusivas para Windows, mas já há uma versão para Mac e Linux.

Para mais informações, downloads acesse a pagina do projeto no link acima.

Abraços!